Um bom jogo de luzes é muito importante nos ambientes e numa loja representa ainda mais que isso

Arquitetude

A iluminação na arquitetura comercial vai dizer muito sobre sua marca, produto e objetivos naquele negócio. Ela pode influenciar no estímulo das vendas ou, se disposta da maneira errada, espantar a clientela.

O projeto de iluminação deve ser desenvolvido junto do projeto de arquitetura. Isso porque, ao designar os espaços, móveis e posições dos produtos, será possível saber os locais exatos onde será necessária mais ou menos luminosidade.

A importância da iluminação na arquitetura comercial:

Valorização: uma boa iluminação pode valorizar os seus produtos. Colocada da forma correta, uma luminária embutida, por exemplo, pode atrair uma atenção específica para um objeto que você queira destacar.

Cuidado com risco de ofuscamento: sem uma atenção ideal, as luzes podem provocar um efeito contrário daquele que é desejado. Isso porque iluminações em excesso causam ofuscamento, que atrapalham a visão e fazem com que o cliente se sinta desconfortável. Preste atenção se o local escolhido para a colocação de uma lâmpada não vai gerar um reflexo em vidros ou espelhos. Se atente também para ter certeza de que não vai afetar a visão de alguém se a pessoa se posicionar no local ao transitar pela loja. Fique atento: muita luz não significa ter uma boa iluminação.

Luminárias: as luminárias são objetos incríveis que fazem parte tanto do projeto luminotécnico quanto do projeto de arquitetura comercial. Mas é preciso ter certos cuidados antes de sair enchendo o espaço com elas. Em uma loja pequena, o ideal é optar por objetos menores sempre. Assim, o espaço não é prejudicado. Já em lojas que possuem uma área maior, é possível ter mais liberdade para criar. Nesses casos, investir em luminárias maiores e chamativas pode ser uma boa estratégia.

Temperaturas das cores da luz: esse fator vai depender do estilo de ambiente que seu empreendimento busca apresentar. Luzes com cores mais frias trazem a ideia de sofisticação, por exemplo. Já as cores quentes são melhor aproveitadas em ambientes mais aconchegantes, como os restaurantes. Elas trazem a sensação de conforto e bem-estar.

Contato:
Marina Debasa – Arquitetude / RJ
(21) 3417- 0551
http://arquitetude.com.br