A iluminação pode fazer toda a diferença em um ambiente. Mas quais são os tipos de lâmpadas oferecidas no mercado?

Taschibra

“Cada uma possui características diferentes, prós e contras. Alguns tipos de lâmpadas podem funcionar melhor em um ambiente do que em outro. É interessante prestar atenção e escolher com calma, já que, além de iluminar, esse item pode se tornar parte da decoração”, diz Fernando Dalmolin, coordenador da área técnica da Taschibra, uma das maiores indústrias de iluminação do país. Anote aí algumas dicas para saber como funciona cada uma delas e escolher a melhor opção para cada cômodo:

– Lâmpada incandescente:
As lâmpadas incandescentes consomem muita energia e geram pouca iluminação, ou seja, apenas 5% da energia consumida é transformada em luz. Sua vida média é muito baixa, aproximadamente 750 horas, e saiu do mercado Brasileiro em 2016. Hoje pode ser apenas comercializado os modelos considerados decorativos ou modelos para aplicações específicas, como por exemplo, as lâmpadas velas, bolinhas, as de uso em geladeira e forno elétrico.

– Lâmpada Halógena:
As lâmpadas halógenas possuem o filamento dentro de bulbo de quartzo preenchido com gás halogênio, gerando uma iluminação com mais brilho podendo ser uma lâmpada de luz direcionada, como por exemplo, as lâmpadas dicroicas. São utilizadas para destacar um objeto ou detalhe do ambiente. Porém é uma lâmpada que consome muita energia elétrica e gera muito calor, não sendo indicada para iluminação geral de ambientes. Uma das vantagens deste tipo de lâmpada é a fácil dimerização e sua vida média é em torno de 2 mil horas. Portanto, ideal para destacar alguma decoração ou dar um toque diferenciado como iluminação de um móvel, como cristaleira ou painel para televisão. Cada vez menos consumidores optam por esse modelo.

– Lâmpada fluorescente:
As lâmpadas fluorescentes de descarga em baixa pressão, compostas por eletrodos, tubo de vidro coberto com material à base de fósforo e gases. Podem ser encontrada em vários formatos, e utilizadas no mesmo bocal da lâmpada incandescente. Este modelo ainda é muito usado em residências brasileiras, devido ao baixo valor de compra, porém a sua durabilidade é mediana, aumentando a manutenção. O calor gerado é menor que as lâmpadas halógenas ou incandescentes e é muito versátil. Pode ser utilizada em plafons, pendentes ou até em nichos. Ideal para aplicação em residências. A vida das lâmpadas compactas Taschibra é de 6 mil horas. Esta tecnologia está perdendo lugar gradativamente para as lâmpadas LED.

– Lâmpada de LED:
As lâmpadas LED são compostas por Diodos Emissores de Luz e consomem menos energia do que as incandescentes ou fluorescentes e já são muito populares no mercado. A vida útil das lâmpadas LED Taschibra é de 25 mil horas para os modelos bulbos, direcionais e tubulares e 15 mil horas para os modelos decorativos. Por possuir modelos diferentes, pode ser usada em qualquer ambiente da casa. Possui opções de 3000K, que é a cor indicada para criar um ambiente mais aconchegante, 4000K e 6500K, ideal para ambientes que exigem mais concentração e trabalho, como área de serviço, cozinha ou escritório. As opções de filamento em LED unem a tecnologia com beleza. Com um ar vintage, estes modelos estão super em alta e, combinados com pendentes, deixam os ambientes aconchegantes e com baixo consumo de energia. A tecnologia LED também já oferece lâmpadas tubulares e luminárias de alta potência, para atender o mercado industrial.

Serviço:
Taschibra
0800 707-7353
taschibra.com.br